Páginas

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Menino do dedo verde


O MENINO DO DEDO VERDE


Neste mês de setembro, as crianças da Creche Municipal Professora Flora Santina Ferrari Braz, estão vivenciando as aventuras do livro: Menino do Verde, um clássico da Literatura infanto-juvenil, que apresenta o personagem, Tistu, um menino que tem o dedo verde e faz florir tudo o que toca. Assim, ele faz nascer flores em todos os lugares que precisam de alegria e esperança. O menino tem o olhar da criança que vê o mundo sobre a ótica infantil e desorganiza o raciocínio dos adultos, que tem o julgamento pelas lentes de costume.

O projeto Crianças do Dedo Verde nasceu da necessidade de semear a Paz, florindo nossa creche e Comunidade, deixando tudo mais bonito e alegre. Desse modo, investigaremos o Meio ambiente a nossa volta. Observaremos, recolheremos e investigaremos a natureza e seus elementos. As crianças terão contato com a terra e tudo que ela oferece, revitalizaremos nossa horta com plantio de sementes diversas e plantaremos flores de diferentes espécies na frente da Creche. Com a ajuda dos responsáveis faremos a ação de distribuição de sementes para que outros ambientes, casas e praças também sejam floridas por nossas crianças.  Abordaremos o cuidado com o meio ambiente e a importância do contato com a natureza no desenvolvimento infantil, também valores como solidariedade e Paz!

Todas as fotos e poses você confere em nossa página no Facebook












E continuamos nessa aventura!


sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Semana da Educação Infantil 2018

Nossa Semana Da Educação Infantil Foi sensacional!

Você confere todas as fotos e poses em nossa página no facebook.

Vai lá conferir...













quarta-feira, 1 de agosto de 2018

QUE MEDO!

Que Medo!

Por meio de desenhos animados, a MultiRio aborda diferentes faces do medo infantil, contribuindo para seu entendimento e desmistificação.


Sabendo que a Educação Infantil, primeira etapa da Educação Básica, é um momento no qual a criança irá vivenciar novas experiências e estabelecer novos vínculos de relações e interações sociais, acreditamos ser de grande importância as vivencias e aprendizagens nos campos social e emocional, experimentando e tendo liberdade de expressar suas diferentes emoções, seja alegria, tristeza, medo, ansiedade, insegurança e vários outros desafios que surgirão.

Desse modo, estabelecer práticas, cenários e situações que auxiliem as crianças, a sentirem-se mais seguras para aprenderem a lidar nesse vasto mundo das relações interpessoais faz parte de um processo educacional que valorize o desenvolvimento de habilidades socioemocionais desde a mais tenra idade

Acreditamos que a  criança que é estimulada a lidar com as emoções, pode apresentar melhor desempenho, terá mais vontade de aprender, se destacará em situações que envolvam cooperação e acima de tudo terá controle sobre o que sente, desenvolvendo autoestima e autoconfiança.

                Nesse contexto, a Creche Flora Santina Ferrari Braz, fez uso da coleção: Que Medo! Da Multirio com a escolha dos títulos: Aquitã, o indiozinho,  Voa, João, As Pintas de Júnior e Hugo Monstro, além do livro Monstro Amor que compõe a coleção Minha Primeira Biblioteca para o trabalho com estas questões socioemocionais.

                No Livro Aquitã, o indiozinho fizemos roda de conversa sobre o medo do escuro e o têm no escuro? ; Construímos a cabana da escuridão com elementos da noite como estrelas, lua, corujas, morcegos, todos citados e construídos por eles com materiais diversos. Deitamos no chão da cabana e o observamos e investigamos com a luneta, em alguns momentos o medo surgia, mas logo depois se encorajavam a apreciar a beleza da noite e desenhamos monstros com carvão.




Roda de conversa e expressão dos medos através do desenho com giz gesso e tinta guache


Na cabana do Medo, observar o escuro e as criaturas que nele vivem e que nos causam medo
Muitas delas, fruto da nossa imaginação!



















Expressar aquilo que nos causa medo através do desenho é uma forma de lidar com ele.


Registros artísticos como livre expressão de sentimentos e opiniões usando giz gesso e carvão










O rosto como espelho das emoções e sentimentos
Pintura com dedo e guache como forma de expressar expressões faciais, sentimentos e emoções. 






No Livro Voa, João realizamos roda de conversa sobre o que tinham medo e as criança se desenharam dentro da casquinha do ovo, onde foi feito o registro de suas falas individuais cerca dos medos; Aprendemos a cantar as músicas que o papai, a mamãe, a professora e os amigos cantavam para incentivar João a voar; Construímos asas iguais a de João e voamos pelos espaços da Creche para promover a liberdade e a autoconfiança; e na culminância da Semana de Educação infantil foi realizado o teatro do Livro, com a participação de educadores e alunos




Na roda de conversa, poder expressar através das palavras aquilo que causa medo!


Manusear o papel dobrando-o pra fazer surgir o pequeno João de barro
Manusear o barro (argila) para compôr seu ninho






Bater as asas e sentir o vento
Enfrentar seus medos através da brincadeira


E você, tem medo de que?

YANE EI 32 TEM MEDO DE ZEBRA

DANILO EI 32 NÃO TEM MEDO DE NADA!

GIUIA EI 32 TEM MEDO DE PEIXE PORQUE ELE MORDE

INVESTIGAR O VENTO QUE SOPRA NO ROSTO AO VOAR
O QUE MAIS VOA?
PIPAS! VAMOS BRINCAR!




 

Na Semana da Educação Infantil
Contar aos amigos no Encontro das Escolas 9ª CRE, as aventuras deste pequeno João de Barro!




                No livro as Pintas de Júnior fizemos roda de conversa, quem é você e como está seu coração? O medo do médico e da injeção.  Registramos através do desenho, em cartaz coletivo as emoções: triste, feliz, zangado e assustado. Incentivamos a olharem-se no espelho e fazerem diferentes expressões faciais; usamos plaquinhas com emojis, incentivando a imitação da carinha.



ROSTO, ESPELHO DAS EMOÇÕES E SENTIMENTOS
MEDO, DOR, ALEGRIA, TRISTEZA...













Nos livros Hugo Monstro e Monstro amor, realizamos roda de conversa sobre sermos diferentes uns dos outros; passamos por um circuito monstruoso, com diferentes tipos monstros para superarem o medo do diferente; desfilaram na creche com figurinos de monstro; foi feita culinária com frutas, legumes e verduras para montagem de pratos divertidos com a carinha de lindos monstrinhos; as crianças levaram para casa um monstrengo construído com maisena e bola de gás, para desenvolverem a percepção de proximidade e amizade com figuras diferentes.


 
Um pouco de Arte
Pintando, colando... o medo se transforma em alegria!




Colagem coletiva do EI 11 berçário


No circuito Monstruoso, brincando a gente se desenvolve!









Soprando...



Amassando...
Bonecos monstros com bexiga e maisena


Cozinhando...




Tudo vira Monstro
Adeus medo!

Todas essas histórias perpassaram pelos campos das emoções e ajudaram nossas crianças a compreenderem questões como autoconfiança, tolerância, autonomia, perseverança, responsabilidade, cooperação, paciência, sociabilidade, solidariedade, dentre outros aspectos importantes para o desenvolvimento humano.

        Dar importância às emoções no espaço escolar, desde a infância é algo valioso para um futuro de pessoas mais humanas, bem resolvidas e felizes.